Os números musicais que representam os indicados a Melhor Canção Original na cerimônia deste ano foram um alívio bem-vindo ao humor desconfortável e más vibrações no Dolby Theatre. O show começou com Beyoncé cantando “Be Alive” do filme “King Richard”, transmitido ao vivo das quadras de tênis de Compton, CA, onde Venus e Serena Williams aperfeiçoaram seu ofício. Foi um momento legal que foi um pouco iluminado demais, mas mostrou a compreensão de Beyoncé sobre cinema, já que toda a performance contou com movimentos de câmera elaborados e edições coreografadas. Foi impressionante, mas quase esperado, dado o histórico do Queen Be.

Billie Eilish e Finneas tocaram o tema de Bond “No Time to Die”, que acabou levando para casa o prêmio de Melhor Canção Original, e sua performance foi agradável e discreta. Eles proporcionaram um momento de contemplação silenciosa para contrastar “Somehow You Do” de Reba McEntire do filme “Four Good Days”, com o baterista do Blink 182 Travis Barker na bateria. Estava tudo bem, embora a maior parte da reação do Twitter fosse de pessoas perguntando se “Four Good Days” era mesmo um filme real. (Na verdade, é um drama inspirador sobre uma jovem interpretada por Mila Kunis que luta contra o vício e a recuperação, e está sendo transmitido no Hulu.)

Houve duas apresentações de “Encanto”, porque a música indicada, “Dos Oruguitas”, não era a favorita dos fãs. A apresentação foi linda, com cenário tropical e dançarinos tradicionais colombianos. Isso me fez lembrar dos velhos tempos do Oscar, mesmo que apenas por um momento, e me lembrou a magia do cinema. A outra música mais popular de “Encanto”, “We Don’t Talk About Bruno”, também teve uma sequência musical totalmente coreografada e intensamente divertida, embora definitivamente parecesse mais moderna do que “Dos Oruguitas”. Ambos foram muito divertidos, e a introdução de John Leguizamo para “We Don’t Talk About Bruno” (ele interpretou Bruno) foi um grande destaque de uma noite desastrosa.

Fonte: www.slashfilm.com

Deixe uma resposta