“The Staircase” não coloca todas as cartas na mesa imediatamente. Na verdade, quando o show começa, parece sugerir fortemente que Michael é inocente e que ele está sendo injustamente alvejado. No entanto, à medida que a história se desenrola lentamente, as coisas – e as opiniões – mudam. A série se move para frente e para trás no tempo, nos mostrando vários pontos da história, incluindo flashbacks de quando Kathleen ainda estava viva. Os Petersons são uma família incomum, com um grande grupo de filhos adultos, alguns de casamentos diferentes, alguns adotados (interpretados por um grande conjunto que inclui Sophie Turner, Odessa Young, Patrick Schwarzenegger e Dane DeHaan). A maioria das crianças acredita que Michael é inocente, mas a filha biológica de Kathleen, Caitlin (Olivia DeJonge), não tem tanta certeza.

A linha do tempo em constante mudança pode criar uma narrativa confusa, mas “The Staircase” é auxiliado por suas performances fortes e críveis. O sempre bom Michael Stuhlbarg impressiona como advogado de defesa de Michael, enquanto Parker Posey se destaca como membro da promotoria. Mas Firth e Collette carregam quase todo esse esforço em seus ombros e estão mais do que prontos para a tarefa. Firth, em particular, faz um ótimo trabalho ao fazer Michael parecer um enigma, ao mesmo tempo em que acerta a maneira distinta de falar do verdadeiro Peterson. Como o verdadeiro Michael é tão bem documentado pela série de documentários, Firth teve muito com o que trabalhar. Collette, por outro lado, tem a tarefa mais complicada de trazer Kathleen de volta à vida. Livre de ter que se passar pela verdadeira Kathleen, Collette torna a personagem sua e torna Kathleen quase tão misteriosa quanto Michael.

Quanto à equipe de documentários que cobre a história, eles são tratados como estranhos olhando para dentro. Vincent Vermignon, como diretor Jean-Xavier de Lestrade, continua mudando o que ele quer que o documentário seja à medida que a história se desenrola, enquanto seu produtor observa com cautela . E depois há Juliette Binoche, interpretando uma personagem cuja identidade é tratada como uma reviravolta. Esses elementos da série não se encaixam tão bem quanto deveriam, embora forneçam aos espectadores uma visão (embora dramatizada) de como a série documental foi feita.

“The Staircase” será a palavra final na história de Peterson? Provavelmente não. E com base nos cinco episódios disponibilizados para os críticos, o programa também não está tentando nos dar uma resposta definitiva – somos tratados com inúmeras recriações sobre o que poderia ter acontecido com Kathleen. Mas é para crédito do programa que ele se esforça para nos lembrar que Kathleen Peterson era uma pessoa real que morreu tragicamente; alguém que merece mais do que apenas ter sua morte prematura sensacionalizada repetidamente.

“The Staircase” estreia na HBO Max em 5 de maio de 2022.

Fonte: www.slashfilm.com

Deixe uma resposta