E esse tipo de autenticidade vem do fato de que muitas das pessoas envolvidas tanto na frente quanto atrás das câmeras se identificam como queer, incluindo o diretor, os escritores e as estrelas Rowan Blanchard e Auli’i Cravalho. Os ex-artistas da Disney se afirmam confiantes com material mais maduro, enquanto ainda trazem todo aquele timing cômico bem afiado; Blanchard fez seu nome na série de TV “Girl Meets World”, e Cravalho se tornou um fenômeno global aos 16 anos como a estrela de “Moana”. Os dois têm uma química fácil e brilhante que é óbvia para todos, menos para seus personagens, e vê-los reconhecer seus sentimentos um pelo outro é, claro, a alegria do filme.

Mas o caminho para essa realização é pavimentado com diálogos rápidos e situações divertidas e bem ritmadas. Em sua essência, este é um mistério semelhante a descobrir quem é realmente a escriba da folha de escândalos Lady Whistledown em “Bridgerton”. Pelo menos é para o corpo discente da Miller High School, que regularmente chega para as aulas e encontra os armários, paredes e banheiros marcados com o trabalho caprichoso e colorido de um artista que favorece o jogo de palavras e atende pelo nome de King Pun. Você será capaz de descobrir isso com bastante facilidade. Essa não é a questão. O ponto é apontar o dedo e correr por aí que a Paige de Blanchard deve fazer para provar que ela não é o Rei Pun – mesmo que ela seja a principal suspeita como uma artista talentosa – e evitar a suspensão. (Michelle Buteau traz uma entrega hilária e inexpressiva para seu punhado de cenas como diretora da escola.)

Paige recebe ajuda de seus melhores amigos (Tyler Alvarez e Teala Dunn), que estão apaixonadamente apaixonados e concorrem entre si para presidente do corpo estudantil. (É um pouco complicado e não tão interessante quanto a história principal.) Mas ela também arrasta alguns amigos de infância para sua busca: a abelha rainha Gabriella (Isabella Ferreira), a quem ela ama de longe desde a quinta série, e o moleque de Gabriella irmã gêmea, AJ (Cravalho). Paige finge seu caminho para a equipe de atletismo, embora não tenha o menor traço de atletismo, para procurar pistas e passar um tempo com Gabriella. Mas fazer isso também permite que ela saia com AJ e… bem, você pode imaginar para onde vai a partir daí, com as reviravoltas e mal-entendidos necessários para servir como obstáculos ao longo do caminho.

Fonte: www.rogerebert.com

Deixe uma resposta