O episódio começa em um planeta distante, onde um elfo está lutando contra uma estranha criatura brilhante que transforma sua forma e é aparentemente indestrutível, ao lado dele está uma garota inspirada em Betty Boop com superpoderes que dispara raios de suas mãos. A luta em si é lindamente animada pelo estúdio La Cachette, que também fez o incrível “Primal”, com um trabalho de câmera impressionante e uma sensação de enquadramento que combina técnicas de filmagem de ação ao vivo com animação de maneira perfeita e cativante.

Quando as coisas começam a dar errado para nossos heróis, o próprio Merlin se teletransporta para este planeta estranho, acompanhado por um robô cavalheiro steampunk apropriadamente chamado Copérnico. Merlin diz a eles que a luta deles não termina aqui, e começamos a avançar no tempo em uma montagem que mostra os Warriors Eternal titulares sendo reencarnados através dos tempos, com o robô Copérnico encontrando candidatos dignos e “despertando” os guerreiros dentro deles. Basicamente, esse robô anda por aí possuindo espectadores inocentes com as almas de guerreiros antigos, sem nenhuma consideração pelas vidas que estão vivendo ou que serão deixadas para pegar os pedaços do que deixaram para trás.

A maior parte da história parece estar ocorrendo na Londres de 1890, quando uma jovem chamada Melinda é despertada por Copérnico no dia de seu casamento. Por causa de sua idade mais jovem, as memórias de Melinda de sua vida passada e sua nova se misturam, causando uma crise de identidade para ela, e também muita raiva e confusão de sua família, convidados do casamento e noivo. Agora eles precisam reunir os outros guerreiros antes que o mal intergaláctico surja novamente.

Fonte: www.slashfilm.com

Deixe uma resposta