Logo, todos os policiais da delegacia estão mortos, exceto Valerie, que tem que decidir se ela pode confiar em Bob ou Teddy antes que Lamb os mate todos. E assim o palco está montado para um impasse em um local semelhante a “Assault on Precinct 13” de John Carpenter ou o filme de terror “Demon Knight”, que parece que daria um ótimo filme duplo com “Copshop”. Eventualmente, o filme terá que nos dar o que realmente queremos – Grillo vs. Butler: Dawn of Angry Beard Guys. Mas primeiro, eles terão que sobreviver por tempo suficiente.

Quero ser muito claro: “Copshop” é um filme bastante simples. Apesar de todas as voltas e reviravoltas e flashbacks, a coisa toda se resume a uma história sobre homens violentos tentando se matar enquanto uma policial é pega no meio. E tudo bem! Não há nada de errado com a simplicidade, e tenho a sensação de que os fãs de filmes de ação trashy do passado vão se divertir com o quão despojado Carnahan fez essa coisa. Aqueles com sede de tiros constantes e torrentes de sangue vão conseguir o que querem.

Mas nada disso resulta em “Copshop” sendo tão bom quanto poderia ser. Carnahan tem um talento especial para a ação com estilo, e todas as peças estão no lugar aqui para algo especial. Mas “Copshop” nunca chega lá. Enquanto Alexis Louder traz muita vivacidade para seu papel, seu personagem simplesmente não é muito interessante. E por mais divertido que seja assistir Butler e Grillo lutarem, o filme os mantém separados por muito tempo. Butler passa quase todo o filme sentado no chão algemado a algumas grades da prisão. Quando ele finalmente solta, podemos vê-lo engatinhar, mas já é tarde demais. O roteiro, de Carnahan e Kurt McLeod, também não parece ter uma noção de quem é o Teddy de Grillo e quais são suas motivações.

Mas o público-alvo de “Copshop” não vai se importar com essas coisas. Eles querem ver Gerard Butler disparar uma espingarda repetidamente no rosto de alguém, e eles vão conseguir isso aqui. Eles também vão pegar o cara Frank Grillo e o exagerado assassino Toby Huss, e todas essas coisas provavelmente vão congelar em uma espécie de entretenimento com queijo frito. No final, “Copshop” é agressivamente bom, e isso provavelmente será mais do que suficiente para a maioria dos telespectadores.

/ Classificação do filme: 6 de 10

Fonte: www.slashfilm.com

Deixe uma resposta