A resposta cínica é que “Lightyear” é para os cinéfilos que cresceram em “Toy Story” e querem ver seus personagens favoritos da infância atuando em seus filmes de ficção científica favoritos. A resposta menos cínica é que é uma oportunidade para um cineasta iniciante (Angus MacLane, fazendo sua estréia na direção depois de anos como animador na Pixar) para mostrar seus talentos fazendo o épico de ficção científica que ele aspirava há muito tempo, aninhado aqui dentro dos limites aconchegantes de uma franquia estabelecida. A verdade é que provavelmente é algo entre os dois – um riff ambicioso de clássicos de ficção científica que fica um pouco mais fácil nas mãos capazes da Pixar.

Chris Evans (fazendo uma entrega em staccato cortada diretamente de uma performance de William Shatner que apenas solidifica os paralelos de “Star Trek”) estrela como Buzz Lightyear, um lendário Space Ranger cujo único erro crítico resulta em sua equipe ficar presa em um planeta alienígena hostil 4,2 milhões de anos-luz de distância da Terra. Com seu único meio de voltar para casa na Terra, um cristal de alta velocidade que é extremamente perigoso para engenharia, destruído, a tripulação de 1.000 decide fazer o melhor de sua situação e se estabelecer no planeta – todos exceto Buzz. Arruinado pela culpa por seu fracasso, Buzz se lança na tarefa de testar um novo cristal de alta velocidade que pode trazê-los de volta para casa. Mas o primeiro voo de teste resulta em uma dilatação do tempo: um voo de teste de quatro minutos para o Buzz é quatro anos no planeta para todos os outros.

Isso inclui sua amiga e colega Patrulheira do Espaço Alisha Hawthorne (Uzo Aduba), que continua sendo sua mais apaixonada defensora, mesmo quando ela se estabelece com o resto da colônia – encontrar uma esposa, ter um filho, envelhecer e ficar contente enquanto o Buzz permanece o mesmo. , obcecado em testar o cristal e “terminar a missão”. Buzz fica tão empolgado com essa missão que, antes que ele perceba, décadas se passaram e Alisha e seus ex-companheiros de equipe estão mortos há muito tempo. O planeta em que ele pousa de volta agora é invadido por robôs alienígenas assassinos, com uma equipe desconexa de cadetes juniores liderados pela corajosa neta de Alisha, Izzy (Keke Palmer, se divertindo) e incluindo o covarde Mo (Taika Waititi, interpretando um personagem muito Waititi) e o criminoso selvagem Darby (Dale Soules, todo de aço bruto), sua única esperança para salvar a colônia.

Fonte: www.slashfilm.com

Deixe uma resposta