“The Bear” segue um homem chamado Carmy, interpretado por Jeremy Allen White, (que é um profissional em interpretar um nativo de Chicago neste momento depois de sua passagem em “Shameless”) enquanto ele deixa o mundo da alta gastronomia onde ele é uma estrela em ascensão , para voltar para casa e administrar a lanchonete da família após o chocante suicídio de seu irmão. Ele está tentando trazer essas vibrações de alta qualidade cristalinas de sua antiga cozinha, para os pisos sempre manchados da classe trabalhadora em que ele se encontra agora e está indo terrivelmente. A família quer deixar o lugar por boas razões, é um poço de dinheiro, e as memórias em torno dele são tão ruins que sua irmã Sugar (Abby Elliott) odeia entrar, mas Carmy vê isso como um novo começo. Ele quer dar a volta por cima, mas, a princípio, não parece que seja pelas razões certas. Parece que ele está fazendo isso pela influência que poderia vir com a mudança. Ele está usando o futuro sucesso esperançoso do restaurante para mostrar a todos, incluindo seu irmão morto, que ele poderia fazer isso o tempo todo.

As cozinhas são um lugar perfeito para qualquer jovem branco cisht com um complexo de inferioridade e algo para provar para prosperar, e Carmy preenche todos os requisitos. Ele tem a aparência de um típico chef milenar – tatuagens esporádicas, constantemente desgrenhadas, pouca preocupação com sua saúde física e mental – e tudo acaba chegando ao ponto de ebulição. Todos ao seu redor são afetados, seu amigo de infância Richie que ele chama de “primo” (Ebon Moss-Bachrach) é resistente a todas as mudanças que ele está tentando fazer, incluindo a contratação do verde, mas incrivelmente motivado Sydney (Ayo Edebiri) para vir como seu Sous. Chefe de cozinha.

A indústria de serviços também é um lugar onde muitas pessoas – mulheres, negros e pardos – são negligenciadas, sobrecarregadas e mal pagas. Carmy vê o talento em Sydney, sua criatividade, perspicácia nos negócios e recusa em aturar as merdas de Richie, tudo o que o convence, mas como qualquer chef, ele a usa como seu saco de pancadas quando precisa desabafar. Ayo usa a série para nos mostrar exatamente do que ela é feita. Sua recente passagem pelo muito dorminhoco “Dickinson” – onde ela escreveu e estrelou meu episódio favorito da série – solidificou meu status de fã, e ela arrasa em “O Urso”, onde ela garante que seu personagem seja visto como qualquer coisa. mas uma nota.

Fonte: www.rogerebert.com

Deixe uma resposta