Os artistas retratam soberbamente seus papéis como sonhadores com ideais progressistas – entra a técnica de som sobrecarregada Lorraine (Jenna Ortega), apelidada de “mouse da igreja”, namorada do diretor RJ (Owen Campbell), que vê “As Filhas do Fazendeiro” como uma oportunidade de elevar a pornografia com francês habilidades “vanguardistas”. As hesitações morais de Lorraine instigam conversas mais perspicazes do que os slashers comuns de T&A e levam os destaques Brittany Snow e Scott Mescudi devorando cada grama da tela. Snow vende tanto sua persona “Debbie Does Dallas” quanto a inteligência por trás dos talentos dados por Deus de Bobby-Lynne (Snow é tão, assim engraçado durante as filmagens de pornografia) – os estereótipos típicos da bomba que se danem – enquanto a vaidade de Mescudi é suficiente para arrancar risadas apenas flexionando na frente de janelas ou portas nua. É um elenco tão forte que atrai você durante suas filmagens secretas em torno das terras agrícolas de Howard – os encantos necessários para perseguir estrelas permitem que a segunda metade do filme seja aterrorizante porque nos importamos com quem morre.

Uma vez que os horrores de “X” se acendem, West recompensa seu público paciente com 100% de compromisso com um slasher extremamente agradável, ostentando todas as emoções e arrepios prometidos. WETA fornece efeitos práticos que vendem mortes excessivamente retorcidas inspiradas em tudo, desde o italiano Giallos até “The Visit” de M. Night Shyamalan. Comparações fáceis de trailers com “O Massacre da Serra Elétrica” ​​são menos adequadas, já que West busca algo genuinamente único, pois a câmera torta de Rockett captura tudo, desde as consequências da repressão até o horror aquático surpreendente. Os efeitos práticos permanecem impressionantemente realistas e gratuitos – um cartão de visita dos slashers da era de ouro – que deixarão os fãs empolgados após os créditos. “X” vive seu nome levando o apelo grindhouse ao extremo, entregando o que os amantes do terror sem dúvida descreverão como “diversão de terror à moda antiga”.

Tanto de “X” e sua espiral desprezível em sede de sangue nas mãos de republicanos e religiosos em pânico toes território spoiler, então é aqui que deixo vocês. Ti West está de volta com uma vingança violenta, cortando e cortando personagens simpáticos que iluminam a tela durante suas filmagens noturnas condenadas e debochadas. West está operando em outro nível – mesmo o menor corte de edição aumenta o medo. É tão bom que você não pode deixar de se perguntar quantos outros nocautes fomos roubados se West não tivesse voltado para a televisão por um tempo, mas mais inspirador, o que West ainda tem reservado para nós agora que ele está de volta (por enquanto) . Slashers estão vivos e bem, e até mesmo respiram uma nova vida no caso de “X” – se ao menos apoiássemos novos slashers originais tanto quanto o próximo “Halloween” ou “Scream”, os estúdios assumiriam riscos mais inacreditáveis ​​como “X”. Aqui está sua chance.

/Classificação do filme: 8,5 de 10

Fonte: www.slashfilm.com

Deixe uma resposta