Lee faz um trabalho louvável como diretor de longa-metragem pela primeira vez, com uma sensação de confinamento de ritmo e enquadramento que mantém “Hunt” emocionante e envolvente, apesar de sua duração de 131 minutos. Apenas quando o filme começa a desacelerar, uma nova reviravolta é introduzida, ou um novo personagem, ou uma história inteiramente nova, e todos eles recebem uma recompensa adequada antes de serem substituídos por novas reviravoltas, personagens e histórias. A pior coisa a ser dita sobre o filme é que seu enredo pode ser bastante complicado na maioria das vezes, com Lee e seu co-roteirista Jo Seung-hee tentando enfiar cada conceito de thriller de espionagem em um único filme, sem um único cuidado. dado à lógica ou coesão.

Há reviravoltas na história em cima de reviravoltas na história, em cima de flashbacks introduzidos no final com o propósito específico de servir como uma reviravolta na história. “Tente acompanhar ou se perder!” parece ser o mandato número um aqui, e se você piscar ou for ao banheiro, você se perderá imediatamente.

Embora o público americano provavelmente tenha conhecido Lee através do super-hit “Squid Game”, ele não deixa seu status de superstar veterano na Coréia ser desperdiçado por trás das câmeras. O co-roteirista e diretor também estrela como o chefe da KCIA Pyung-ho, um homem que é igual a Jack Bauer – rápido em desrespeitar regras, torturar prisioneiros e mentir para conseguir o que quer – e o elegante Don Draper. Mesmo sem as reviravoltas ridiculamente divertidas e os emocionantes tiroteios, “Hunt” funciona por causa do relacionamento de Pyung-ho com seu agente rival/amigo Jung-do (Jung Woo-sung), com os dois trabalhando constantemente um contra o outro enquanto também têm um relacionamento bastante amigável.

Fonte: www.slashfilm.com

Deixe uma resposta